No 7735 Ano 32   © 2019   3a-feira 26mar2019
nanoJORNAL para Tablets & smartphones

Temer e Franco
soltos

Todos os presos preventivos da Operação Descontaminação - incluído o ex-presidente Michel Temer - ganharam liberdade por decisão do desembargador Ivan Athié, relator dos habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). Athié ficou sete anos afastado do cargo, acusado de estelionato. Além de Temer, foi solto o ex-ministro Moreira Franco e outros sete envolvidos. O Ministério Público Federal quer manter prisão preventiva ou domiciliar com tornozeleira para Temer. O Banco Central bloqueou R$ 8,2 milhões em três contas do ex-presidente. A ordem total da Justiça, porém, era para bloquear até R$ 62 milhões. O coronel Lima, amigo e suposto operador do MDB, teve R$ 23 milhões bloqueados. A Operação Descontaminação apura pagamentos ilícitos feitos pelo empreiteiro José Antunes Sobrinho, da Engevix, a um grupo criminoso que seria liderado por Temer, segundo o Ministério Público Federal (MPF).

O BRASIL E O MUNDO HOJE
Apple TV+: estratégia para se livrar da dependência do iPhone.

foto Divulgação





Lula pede anulação da condenação pelo tríplex A defesa do ex-presidente Lula pediu ontem ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a anulação da condenação no caso do tríplex do Guarujá SP e o envio do processo à Justiça Eleitoral. O pedido foi feito diante da possibilidade de o STJ julgar recurso protocolado no ano passado pelos advogados do ex-presidente para rever a condenação. A manifestação também foi baseada na decisão do Supremo que confirmou a competência da Justiça Eleitoral para julgar crimes comuns conexos aos eleitorais. O caso será julgado pela Quinta Turma do tribunal e tem como relator o ministro Felix Fischer.

Previdência: questão de quatro meses, diz ministro. A se acreditar no ministro Paulo Guedes, Economia, a aprovação da reforma da Previdência é questão de "três ou quatro meses". "Somos todos brasileiros, queremos consertar os problemas. [Mas] Há um problema evidente em comunicação", disse. As declarações foram dadas durante reunião da Frente Nacional de Prefeitos (FPN) após o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, trocarem farpas. Na verdade, os parlamentares ainda não estão convencidos da necessidade da reforma - "Nem o PSL" (partido do presidente), disse o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir (GO).

Índices / Mercado

MOEDAS
            Compra  Venda
Dólar
Comercial   3,8556  3,8562
PTax        3,8764  3,8770

OURO
R$/grama       BM&F 162,21

BOLSAS
S Paulo  (Bovespa)  -0,08%
S Paulo  (IBx)      -0,04%
S Paulo  (IBx-50)   -0,10%

Poupança antiga    0,5000%
Poupança nova      0,3715%



Maior recuo diário do dólar Depois de um dia de turbulências no mercado financeiro na última 6a-feira (22), a moeda americana registrou o maior recuo diário em mais de um mês. O dólar comercial encerrou ontem vendido a R$ 3,8562, com recuo de 1,15%. Essa foi a maior queda para um dia desde 12 fev19, quando a divisa tinha recuado 1,31%. No mercado de ações, o dia foi de estabilidade. Depois de cair 3,1% na 6a-feira, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), recuou apenas 0,08%, a 93.662 pontos. A estabilidade no mercado financeiro ocorre depois de o presidente Jair Bolsonaro ter se reunido com vários ministros e ter reconhecido a necessidade da aprovação da reforma da Previdência para reequilibrar as contas públicas.

Casos de dengue crescem 264% no Brasil Dados divulgados ontem pelo Ministério da Saúde apontam que o Brasil registrou 229.064 casos de dengue apenas nas 11 primeiras semanas de 2019 - aumento de 264% em relação ao mesmo período do ano passado (62,9 mil casos). A incidência da dengue no País até 16mar19 é de 109,9 casos por 100 mil habitantes. As mortes provocadas pela doença acusaram aumento de 67%, de 37 para 62 - a maioria no Estado de São Paulo, com 31 óbitos, disse o ministério. O número representa 50% do total de todo o País. Apesar do aumento expressivo no número de casos, a situação ainda não é classificada pelo governo federal como epidemia.

Novo apagão afeta várias regiões da Venezuela Um novo grande apagão atingiu ontem mais de 15 Estados da Venezuela, incluindo a capital, Caracas. O novo apagão veio cerca de 20 dias após o anterior, que paralisou o país por uma semana. A eletricidade acabou no início da tarde em boa parte da capital e em grandes cidades do Oeste do país. Relatos nas redes sociais e jornais locais afirmavam que as linhas telefônicas ficaram fora do ar e o metrô de Caracas parou por "falha elétrica". O ministro de Comunicação do governo Nicolás Maduro, Jorge Rodríguez, acusou o partido Vontade Popular, do líder opositor Juan Guaidó, de suposta sabotagem à central hidrelétrica Simón Bolívar, a maior do país. Ele já tinha culpado Guaidó pelo apagão anterior. Mas especialistas acreditam que a causa provável é a falta de manutenção.

E MAIS:
Leitura // E a Constituição?
   
O debate sobre da crise da democracia no Brasil gira em torno de uma questão: a Constituição de 1988 está ou não sob ameaça? Mas como aprofundar esse debate sem conhecê-la em detalhe -- bem como suas transformações ao longo das últimas três décadas? Eis o feito deste livro, em que o documento que pactua as regras do jogo democrático é esmiuçado com clareza e profundidade por pesquisadores de diversas áreas e especialidades. Compreender a Constituição brasileira é um passo decisivo para a defesa das regras do jogo democrático, questionadas de maneira temerária nos últimos anos no país tanto à esquerda como à direita. // A Carta / Naércio Menezes Filho e André Portela Souza (organizadores) / Editora Todavia, 280 páginas, R$ 64,90; livro digital, R$ 44,90. / Menor preço: R$ 64,90 (www.amazon.com.br) / O frete pode encarecer uma oferta. Verifique sempre.

Jornaldodia para tablets & smartphones
© 2019   http://www.jornaldodia.com.br>www.jornaldodia.com.br