No 7712   Ano 32   © 2019   5a-feira 14fev2019
Bolsonaro: Bebianno pode "voltar às origens".
Presidente recebe alta do hospital
Ministros discutem investidas contra o Judiciário
Autocontrole contra corrupção
Chanceler brasileiro vai a encontro contra Irã

 

Bolsonaro: Bebianno pode "voltar às origens".

Carlos Bolsonaro sobre encontros de Bebianno com seu pai: "mentira absoluta".

foto Twitter e José Cruz / ABr


Contra declarações do secretário-Geral, ministro Gustavo Bebianno, de que teria se encontrado três vezes com o presidente Jair Bolsonaro nesta semana, um dos filhos do presidente, Carlos, disse que a declaração é uma "mentira absoluta". No último domingo, reportagem do jornal Folha de S Paulo informou que Bebianno liberou R$ 400 mil de dinheiro público, do fundo partidário, para uma candidata "laranja" de Pernambuco, Maria de Lourdes Paixão, que concorreu a vaga de deputada federal e recebeu 274 votos. O presidente disse, apenas, que Bebianno terá de 'voltar às origens' se estiver envolvido em irregularidades. E mandou investigar eventuais irregularidades.

 
 

Presidente recebe alta do hospital

Presidente Jair Bolsonaro com o vice Hamilton Mourão: de volta a Brasília.

foto Marcos Correa / PR


Depois de 17 dias no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro voltou ontem para Brasília. No final de janeiro, ele foi operado para retirada de bolsa de colostomia. Na capital, Bolsonaro foi recebido pelo vice Hamilton Mourão. Os médicos recomendam repouso, portanto nos próximos dias ele vai despachar do Palácio da Alvorada, residência oficial. De acordo com o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, Bolsonaro deve se debruçar sobre o projeto da reforma da Previdência, que deve ser enviado ao Congresso, nos próximos dias [ver Economia].

 
 

Ministros discutem investidas contra o Judiciário

Em almoço no gabinete do presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, os integrantes da Corte reprovaram a Receita Federal no caso do ministro Gilmar Mendes. E avaliaram que, mesmo que a PEC da Bengala (redução da idade de aposentadoria de 75 para 70 anos) venha a cair, não atingirá os atuais ministros. Os ministros reprovaram a Receita, que elaborou relatório apontando possíveis "fraudes de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência" por parte do ministro Gilmar Mendes e familiares.

 
 

Autocontrole contra corrupção

O ministro Onyx Lorenzoni, Casa Civil, anunciou ontem que os ministérios terão um sistema de autocontrole para combate à corrupção. O objetivo, disse ele, é "dar o exemplo" para a sociedade. A experiência começará a ser testada nas pastas da Agricultura e da Saúde. Se der certo, será estendida aos demais ministérios. "O Brasil será o primeiro país a ter unidades de autocontrole dentro da cada pasta. É preciso não apenas fazer combate à corrupção, mas mudar a cultura", disse ele.

 
 

Chanceler brasileiro vai a encontro contra Irã

Encerra-se hoje, na Polônia, encontro proposto pelo governo americano do presidente Donald Trump para pressionar o Irã, do qual faz parte nosso ministro Ernesto Araújo, Relações Exteriores. O encontro foi recebido com reservas pelas potências da União Europeia (UE). O Itamaraty afirmou que a conferência "é uma oportunidade diplomática para discussões francas sobre a paz e a segurança no Oriente Médio. O Brasil deverá realizar hoje apresentação sobre a experiência brasileira com refugiados, disse o ministério.

 
CURTAS


PENTE-FINO QUE PEGOU GILMAR SELECIONOU 134 AGENTES PÚBLICOS

RAQUEL DODGE QUER ADMAR GONZAGA SEM FORO EM ACUSAÇÃO

Resumo dos principais jornais e sites noticiosos do Brasil e do mundo

POLÍTICA ECONOMIA NEGÓCIOS ÍNDICES GERAL MUNDO HOME